Ganhando Dinheiro com o Desenvolvimento de Aplicativos

Hoje, mais do que nunca, há infinitas oportunidades para gerar receita no mercado de aplicativos móveis. Este fenômeno tem registado um crescimento substancial desde o seu começo e não apresenta sinais de desaceleração.

Você entra em um Play Store ou App Store e se depara com aquele universo de aplicativos seja para jogos ou para uma infinidade de utilidades, que por sinal podem ser muito uteis no nosso cotidiano.

É promissor ver que a receita das lojas de aplicativos em todo o mundo já atingiu US$ 19,5 bilhões no primeiro trimestre deste ano, com grandes oportunidades na China, Brasil e Índia.

Mas algumas pessoas me perguntam: como ganhar dinheiro com aplicativos? Mas infelizmente não há apenas uma resposta e felizmente há diversas maneiras diferentes, que se adaptam melhor a cada tipo de app, público, etc. Existem inúmeros posts na Internet sobre monetização de apps, falando de redes de anúncios, venda de digital goods, cobrança por download e por aí vai. Não quero ser mais um dando as mesmas dicas, então vou falar da minha experiência como desenvolvedor de apps para empresas e te ensinar como ganhar dinheiro rapidamente com isso.

Obviamente você já terá de ter conhecimentos básicos como desenvolvedor de apps para conseguir dinheiro nessa área, mas o que é mais interessante ainda, é que também é possível você aprender a desenvolver apps do ZEROMas esqueça essa historia de ganhar $0.99 por download ou $0.05 por clique em banner, estou falando de alguns milhares de R$ por app que vai lhe tomar 20-40h de esforço por projeto.

Desenvolvendo Apps para Terceiros

Desenvolver apps para terceiros não é difícil. Não precisa ter uma ideia mirabolante, você pode pegar só trabalhos que se adequem ao seu nível de experiência e ainda por cima, a curto prazo paga muito melhor do que um app tradicional (que ganha centavos com anúncios ou downloads). Mas como funciona?

Basicamente alguém ou alguma empresa te contrata com alguma demanda. Eles te dão um briefing do projeto, você faz um orçamento e se tudo der certo o cliente aprova, às vezes exigindo a assinatura de um termo de confidencialidade e cessão de direitos autorais do projeto. Você vai desenvolver o projeto em casa mesmo e ao término, irá entregar o código-fonte e o app pronto à ele para receber o pagamento.

Particularmente eu sempre ganhei dinheiro com apps assim, é a maneira mais rápida e fácil de ganhar quantias interessantes, como alguns milhares de R$, em pouco tempo de trabalho, de um final de semana a uma semana, em média. Fiz apps para empresas como Embelleze, LG, Ford e Renault que foram usados em eventos e campanhas publicitárias. Essa experiência com apps para empresas inclusive eu relato no meu livro Criando apps para empresas com Android.

Arranjando freelancing

A chave aqui é freelancing, também conhecido como “bico”, aqui no Brasil. Para que encontrem você como um desenvolvedor de apps, você deverá se cadastrar na maioria dos sites de freelancing que encontrar, particularmente eu recomendo o Workana, mas existem muitos outros. Todos esses sites permitem que você filtre quais tipos de trabalho deseja receber por email e você não é obrigado a fazer nenhum trabalho que não se sinta confortável (que não tenha os conhecimentos por exemplo).

Só isso pode não bastar, então coloque essa informação no seu perfil do LinkedIn e de repente tire aquela imagem genérica de pôr-do-sol ou de cachorro da capa do seu Facebook e coloque um banner oferecendo seus serviços lá. Se tiver um blog (como esse) escreva a respeito de desenvolvimento de apps.

Outra ideia é ser conhecido pelas agências digitais. Toda vez que uma empresa grande quer um app, ela não abre os classificados do jornal para ver se alguém quer desenvolver pra ela. Ela contrata uma agência de publicidade ou uma agência digital, que são empresas que tocam demandas ligadas à marketing, desenvolvimento e redes sociais para outras empresas. Diversos apps que eu fiz vieram de indicação de pessoas que eu conheço dentro dessas agências, que geralmente terceirizam a parte do desenvolvimento para pessoas externas, como eu. Assim, dê uma procurada na Internet por essas agências (procure termos como agência de publicidade, agência digital e produtora digital) e mande email pros caras, oferecendo os seus serviço.

O quanto cobrar?

Cobrar por desenvolvimento de software é uma arte. Não vou mentir, já fiz muito projeto quase de graça, mas também já fiz muito projeto no melhor estilo “custo Brasil”. Cobrar vai muito além de calcular as horas que você acha que vai levar e multiplicar pelo seu valor hora. Tem a ver com tipo de projeto, dificuldade, tamanho do cliente, etc. Só para dar um exemplo, se um cliente grande como LG bate à sua porta querendo um app, e você calcular que vai demorar 20h pra fazer e cobra R$600 porque sua hora custa R$30 atualmente, eles não vão fechar com você. Eles vão fechar com alguém que cobre uns R$2.000 deles, no mínimo (R$100/h), porque querem um profissional, não um amador. Repare que o preço está associado à percepção de qualidade da entrega.

Agora, se o cliente é o padeiro da esquina, que quer ter um app pra controlar o estoque de farinha, ele não vai querer pagar R$2.000 pra isso, pois geralmente softwares de comércio genéricos custam menos de R$1.000. Estou usando exemplos simples e pouco precisos, apenas para você entender melhor. Mas então, o quanto cobrar?

Se estiver usando as plataformas de freelancers que mencionei antes, o próprio cliente estipulará o valor-limite do projeto, ou seja, se quiser ser aceito (se achar que vale a pena e que sabe fazer o que ele pede), terá de dar um “lance” dentro desse orçamento. Obviamente tem clientes muito sem noção, que querem um WhatsApp pagando R$500, ou um Uber pagando R$2.000 (este último realmente aconteceu).

Se não estiver usando as plataformas acima, ou mesmo com elas, terá de experimentar, ver o cálculo que funciona para você. Como eu faço? Bem, fazer apps não é minha ocupação principal, então encaro como hora extra (+50% do valor hora que recebo no meu serviço). Se for fazer no final de semana, a hora extra é dobrada (x2 o valor hora). Se for em uma época que estou muito ocupado, costumo aumentar ainda mais, para fazer valer a pena o stress de tocar muita coisa ao mesmo tempo, bem como se for um projeto muito chato, onde por exemplo, não vou aprender nada de novo. Estipulado isso, calculo quantas horas vou levar em cada tela e/ou funcionalidade do app, para multiplicar pelo valor hora que descobri antes e chegar no preço final. Coloque mais uns 50% para cobrir testes, correção de bugs, ajustes que o cliente vai pedir e desafios que vai encontrar que não havia previsto e voilá, temos um cálculo mais ou menos pronto que você pode usar.

Exemplo prático: Joãozinho trabalha de dia e faz apps de noite, como freelancer. Ele ganha R$1600/mês em seu trabalho, ou R$10/h, e como faz apps à noite (hora extra de 50%), ele vai cobrar R$15/h. Joãozinho pega um projeto de app de TODO List (lista de tarefas), onde tem uma tela de listagem de tarefas, que ele acha que faz em 4h, e uma tela de cadastro de tarefa, outras 4h. Ele ainda vai ter de codificar algumas classes Java, principalmente a que conecta com o banco, totalizando umas 12h de trabalho. Joãozinho vai adicionar 50% mais horas para os testes e ajustes e cobrar ao todo 18h de trabalho ou R$270 por esse app. Uma pechincha!

Conclusão

Esses dias estava palestrando em uma faculdade sobre Carreira em TI e em certo ponto falei desse assunto, ‘ganhar dinheiro desenvolvendo apps’. Falei das demandas, da carência do mercado, de como dá pra ganhar uma grana boa. Depois de mim chegou um palestrante atrasado que não viu minha palestra e começou a falar da empresa dele, uma agência digital, e não é que ele tocou nos mesmos pontos!! Ele não tinha quem fizesse os apps, estava perdendo dinheiro, que os projetos eram bons e pagavam bem, etc, etc. Foi muito engraçado, todos os alunos começaram a se olhar e a sussurrar, achando que tínhamos combinado, hehehe

O mercado está aí, o conhecimento você encontra aqui no blog mesmo, especialmente neste link aqui.

O que está esperando? ‘Bora ganhar dinheiro com apps?

face-ads04

Escrito por: Luiz Duarte: Pós-graduado em computação, professor, empreendedor, autor, Agile Coach e programador nas horas vagas.

Deixe um Comentario

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.